Vinhedo

Em 1840 nascia a Vila Rocinha, às margens da Estrada da Boiada, que servia de acesso para São Paulo e Santos. O lugarejo teve início a partir de uma pequena casa e uma roçada cultivada, utilizadas como pouso por viajantes. A pequena roça foi responsável pela primitiva denominação, que perdurou, por muito tempo como modo informal de se referir a Vinhedo. Nas décadas finais da escravidão, formou-se em suas terras o Quilombo da Rocinha, um dos mais significativos da Província de São Paulo.

O povoado prosperou graças às fazendas de café que se instalaram na região, em meados do século XIX. Com a decadência do café, as videiras trazidas pelos imigrantes italianos passaram a sustentar a economia. O povoado foi elevado à condição de distrito de Jundiaí em 31 de outubro de 1908.

A vida econômica do distrito continuou oferecendo boas possibilidades em razão da grande plantação de uvas, que se consolidou como sua principal atividade, tanto que a localidade receberia o cognome de ‘capital da uva’. Em 24 de dezembro de 1948, conquistou emancipação política, com a denominação de Vinhedo.

Gestão Cultural e Patrimônio

O órgão responsável pela gestão cultural em Vinhedo é a Secretaria de Cultura e Turismo. O município conta com Conselho Municipal de Cultura, de caráter consultivo, deliberativo e fiscalizador, e com Fundo Municipal de Cultura. Entre os bens de interesse turístico-cultural de Vinhedo, destacam-se duas construções do início do século XX: a Estação Ferroviária e a Igreja Matriz de Sant’Ana.

Fonte: www.portalculturarmc.agemcamp.sp.gov.br

Início