Poesia

Sarau da Anne tem poesia, cinema e solidariedade

Por: Jary Mércio

Realizado mensalmente e sempre aos sábados na casa da escritora, funcionária pública e ativista Anne Addison, na Vila Elza, em Campinas, o Sarau da Anne tem mais uma edição na tarde de hoje, a partir das 15h e até as 21, com o tema.

Ninguém solta a mão de ninguém. Leitura de poesia, exposição de arte, realização de ensaios fotográficos, apresentações musicais, exibição de filme e debates sobre questões políticas e sociais da atualidade nacional compõem a programação do evento. “Todos nós já sonhamos com o novo mundo, essa promessa que se estende invisível. Dançamos e cantamos a ciranda que aguarda o retorno do mar, mas é inevitável pensar o quanto as ondas se repetem e se repetem. O que nos resta é a construção do barco, a invenção do barco que nos salva do naufrágio. E como haveríamos de pensar a proa a não ser com a vontade de direção? De que forma a quilha cortará as ondas senão com o desejo de nos darmos as mãos? E se o mar e a história se repetem, que o amor seja sempre a nossa melhor invenção”, diz, no convite para o evento, a escritora Kate Manhães, autora de Para onde vão os guarda-chuvas? (Ateliê Oráculo), a propósito da necessidade do encontro e da união, através da arte, das minorias e de ativistas que se sentem de alguma forma oprimidos pelo discurso de ódio e violência que ganhou força durante as eleições presidenciais e parece não querer ir embora após o resultado do pleito.

A leitura de poesia será aberta a todos os presentes, que poderão dizer poemas próprios ou de outros poetas. “Quem escreve, mas não gosta de recitar, é só me entregar que a gente lê, com prazer”, diz Anne.

A desenhista e poeta Eni Llis, além de expor suas obras, trará seus poemas em envelopes que serão distribuídos para os que quiserem recitar. A música estará a cargo do artista de rua Celso Niger e da banda que o acompanha, formada por Alex Denner (guitarra), Gordo (percussão), Poeta SouLeo Maicon (baixo) e Nyak (vocalista). A MC Raa Figueiredo também mostrará seu trabalho, e a discotecagem ficará a cargo do DJ Maka.

Fotógrafo oficial do sarau, Daniel da “Lúmenpictrix Fotografia”, além de fotografar o evento estará com um pequeno estúdio no local para fazer ensaios com os presentes. O artista plástico João Bosco, prêmio Business de` Pintura Macc e medalha de ouro no 15º Salão de Artes Plásticas de São João da boa Vista em 1991.

O artista plástico Dink fará um grafiti ao vivo e exporá sua gravuras.

Para encerrar o evento, à noite, será exibido o curta metragem Sinfonia da destruição, produzido pelos coletivos campineiros HAMA e Somos !@, seguido de debate com os realizadores.

Um bazar com venda de roupas, livros e utensílios diversos estará funcionando durante todo o evento e haverá venda de cerveja e refrigerante.

Imagem: Divulgação – Peça de João Bosco: obras do artista plástico é uma das atrações do Sarau, ao lado de outras de Eni Llis e Dink.

Mais em: Correio Popular

Mais Acessadas

Início