Dança

São Paulo Companhia de Dança estreia O Lago dos Cisnes no Teatro Sérgio Cardoso em novembro

O balé mais famoso do mundo marca ano de comemorações.

Criada pelo Governo do Estado de São Paulo, a São Paulo Companhia de Dança – SPCD, corpo artístico da Secretaria da Cultura do Estado gerido pela Associação Pró-Dança, celebra sua primeira década, com a estreia do balé mais aclamado de todos os tempos. A partir de 14 de novembro, o público poderá conferir no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo, O Lago dos Cisnes de Mario Galizzi, um especialista em balés clássicos, que já coreografou outras obras para a SPCD. A temporada terá apresentações de quarta a domingo até o dia 02 dezembro, todas com recursos de acessibilidade.

A obra é dançada com grande sucesso pelas principais companhias do mundo, desde o final do século XIX, além de marcar presença no cinema, a exemplo do filme Cisne Negro, com Natalie Portman, que ganhou um Oscar pelo trabalho e também com uma versão em desenho, da boneca Barbie.

O Lago dos Cisnes é um balé com música especialmente composta por Tchaikovsky que estreou em 1877 no Teatro Bolshoi, mas somente em 1895, com nova coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov, para o teatro Mariinsky, em São Petersburgo, se tornou um enorme sucesso.  E agora nasce o Lago dos Cisnes da São Paulo Companhia de Dança, feito sob medida para os artistas da casa.

A coreografia de Galizzi dialoga com a tradição e se renova nas relações dos personagens, no detalhe da pantomimas, nos desenhos das cenas, em sintonia fina com a música emblemática de Tchaikovsky e coloca todos os artistas em cena, além dos convidados especiais para esta temporada: Luiza Lopes, Ilara Lopes, Emmanuel Vazquez e Lucas Lima. Os três primeiros integraram a equipe artística da Companhia e Lucas criou uma obra para o Ateliê de Coreógrafos Brasileiros. Eles voltam para a comemoração dos 10 anos da Companhia. Também são convidados especiais, os jovens integrantes do programa Fábricas de Cultura da Organização Social Catavento Cultural e Educacional, que neste espetáculo interpretam os nobres da corte, soldados e trompeteiros, possibilitando a eles uma vivência da realidade do mundo profissional da dança. Por meio de parceria com o Instituto de Botânica, foi possível também realizar um ensaio fotográfico no espaço do Jardim Botânico de São Paulo.

Os cenários de Marco Lima apresentam três diferentes espaços: o jardim do palácio, no qual o príncipe e seus amigos comemoram seu aniversário, a floresta com o lago do qual surgem as criaturas mais belas – as princesas aprisionadas pelo mago Rothbart no corpo de cisnes e o salão de baile do castelo, no qual o Cisne Negro engana o príncipe, que não poderá mais salvar o Cisne Branco da magia de Rothbart.

Os figurinos de Fábio Namatame criam uma corte delicada, colorida e alegre na primeira cena, em contraponto com uma terceira cena mais sombria. Os tutus – roupa típica da bailarina, com tules ao redor do quadril – das segunda e quarta cenas, foram confeccionados por Tânia Agra, com suaves brilhos, que sobre o branco intenso iluminam o palco com os movimentos das bailarinas. A luz de Wagner Freire intensifica a dramaturgia da obra e cria climas distintos nos diferentes atos. Uma grande história do balé, para toda a família sonhar e se emocionar.

“O sucesso não se deve somente à beleza da música, mas também à mensagem poética e ao conflito psicológico que caracteriza os heróis, cujo destino prende a atenção das mais diferentes plateias”, afirma Inês Bogéa, diretora da São Paulo Companhia de Dança.

Segundo Olga Arruda, do Museu Catavento, “é com grande satisfação que realizamos a parceria com a São Paulo Companhia de Dança. Enaltecemos a participação dos aprendizes selecionados do Programa Fábricas de Cultura da Zona Leste, para compor o elenco do espetáculo  O Lago dos Cisnes, sendo motivo de enorme alegria para o Catavento Cultural e Educacional essa notável experiência oferecida para os jovens beneficiários do Programa”

Para o coreógrafo Mario Galizzi, “o Príncipe Siegfried, autêntico protagonista da peça, as princesas Odette, Odile e o mago Von Rothbart são concebidos como símbolos claros da luta interna do homem em sua busca pelo amor sublimado e na sedução exercida pelo mundo denso e pulsante das paixões. O bem e o mal compõem a dualidade da natureza humana; e o drama coreográfico-poético-musical de O Lago dos Cisnes acontece dentro de nós mesmos”.

FICHA TÉCNICA DA OBRA

O LAGO DOS CISNES (2018)

Balé em II atos e IV cenas

Direção Artística: Inês Bogéa

Coreografia: Mario Galizzi, a partir de Marius Petipa (1818-1910) e Lev Ivanov (1834-1901)

Música: Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893), com partitura revisada por Riccardo Drigo (1846-1930)

Cenografia: Marco Lima

Figurinos:

Fábio Namatame|  1ª e 3ª cenas, todos | 2ª cenas, homens

Tânia Agra | 2ª e 4ª cenas, tutus e bruxo | 3ª cena, Odille

Iluminação: Wagner Freire

Assistente de coreografia: Sabrina Streiff

Assistente de cenografia:  César Bento

Adereços: Robson Rui (Bestas) I Américo Corrêa (Machados, Trompetas e Cetro)

Visagismo: Augusto Sargo

Professora de Dramaturgia: Vivien Buckup

Mario Galizzi é uma das referências do balé na América Latina. Recebeu o Prêmio Smirnova Elena de Melhor Coreografia (1984) por seu trabalho em Gloria, com música de Vivaldi, criado para Julio Bocca e Cecilia Mengelle no Teatro Colón e o Diploma de Honra por sua trajetória, outorgado pela Assembléia Legislativa da Cidade Buenos Aires. Entre muitos experiencias, foi diretor duas vezes Ballet artístico do Teatro Argentino de La Plata (2002-2003 e 2011-1012), o Ballet Nacional Coreográfica Conselheiro SODRE (Uruguai, 2006), assessor artístico do Instituto Dança Colon Teatro

de Arte (2008-2009), Coordenador de ensaio da São Paulo Companhia de Dança (Brasil, 2015-2016) e entre 2017 e 2018, dirigiu a Compañia Nacional de Danza do México.

OCUPAÇÃO SPCD

O Teatro Sérgio Cardoso torna-se a segunda casa da SPCD. Durante a temporada, o espaço é transformado, estabelecendo uma identidade visual convidando o público para se aproximar ainda mais do universo da dança e da Companhia, com imagens de da estreia nas janelas do Teatro e uma Exposição de Figurinos com trajes de diferentes produções da Companhia ao longo dos 10 anos.

POR DENTRO DO ESPETÁCULO

Durante toda a temporada da SPCD, Inês Bogéa comanda o Por Dentro do Espetáculo. Neste encontro, a diretora da Companhia, acompanhada por dois bailarinos, conta detalhes e curiosidades sobre os bastidores do programa que o público assistirá na sequência. A conversa acontece no terceiro andar (balcão) do Teatro Sérgio Cardoso, 45 minutos antes do início das apresentações.

PROGRAMAS EDUCATIVOS E DE FORMAÇÃO DE PLATEIA

Além das apresentações noturnas, a SPCD apresenta Espetáculos Gratuitos para Estudantes e Terceira Idade nos dias 13 e 22 de novembro, às 15h00 (inscrições encerradas), também no Teatro Sérgio Cardoso. Na ação, o público estabelece um contato geral com o universo da dança: assiste à coreografia e a trechos de obras do repertório da Companhia e recebe material didático com ilustrações assinadas por cartunistas brasileiros.

Acessibilidade

Desde 2013, a São Paulo Companhia de Dança utiliza o recurso de audiodescrição e libras – modo que transmite às pessoas com deficiência, informações sobre cenário, figurino e, principalmente sobre os movimentos dos bailarinos. E desde 2014, a SPCD ampliou o programa por meio de tecnologia avançada de aplicativo gratuito, que transmite para smartphones e tablets os recursos de audiodescrição, interpretação em LIBRAS e subtitulação, permitindo a este público, entrar em contato com a experiência da dança.

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA

direção artística |  Inês Bogéa

Criada em janeiro de 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) é um corpo artístico da Secretaria da Cultura do Estado, gerido pela Associação Pró-Dança e dirigido por Inês Bogéa, doutora em Artes, bailarina, documentarista e escritora. A São Paulo é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos XIX, XX e XXI de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada. Desde sua criação, já foi assistida por um público superior a 600 mil pessoas em 17 diferentes países, passando por mais 125 cidades, em mais de 800 apresentações. Em dez anos de existência, a Companhia já acumulou 17 prêmios, nacionais e internacionais. Além da Difusão e Circulação de Espetáculos, a SPCD tem mais duas vertentes de ação: os Programas Educativos e de Formação de Plateia e Registro e Memória da Dança.

INÊS BOGÉA –  Direção Artística | Inês Bogéa é doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora de diversos livros infantis e organizadora de vários livros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria da Cultura do Estado (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança.

SERVIÇO

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA |  TEATRO SÉRGIO CARDOSO

O LAGO DOS CISNES – ESTREIA

De 14 a 18 de novembro

De 21 a 25 de novembro

De 28 de novembro a 02 de dezembro

Quartas, Quintas e  Sábados 21h00 | Sextas 21h30 | Domingos 18h00

Indicação classificativa: Livre.

ESPETÁCULO GRATUITO PARA ESTUDANTES E TERCEIRA IDADE

Dias 13 e 22 de Novembro | terça e quinta-feira, às 15h00 (Inscrições encerradas)

Local: Teatro Sérgio Cardoso

Endereço: Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – São Paulo/SP

Capacidade: 835 lugares

Valor do ingresso/dia: R$ 50 (plateia central), R$ 25 (meia-entrada plateia central), R$ 40 (plateia lateral), R$ 20 (meia-entrada plateia lateral), R$ 30 (Balcão), R$ 15 (meia-entrada balcão) disponíveis no site www.ingressorapido.com.br pelo telefone 11 4003-1212 ou na bilheteria do Teatro Sérgio Cardoso, de quarta-feira a domingo, das 14h às 19h – telefone 11 3288-0136

Imagem: Divulgação

Mais em: Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e São Paulo Companhia de Dança – SPCD

Mais Acessadas

Início