Meio Ambiente

Noruega retalia o Brasil mas maltrata Amazônia de novo!

Por: João Lara Mesquita  www.marsemfim.com.br

Noruega retalia o Brasil mas também maltrata Amazônia.

A Noruega retalia o Brasil, mas também maltrata Amazônia. Declaração do CEO da empresa, Svein Richard Brandtzaeg, em um comunicado emitido em Março, 2018.

Vertemos água de chuva e de superfície não tratada no rio Pará. É totalmente inaceitável e rompe com o que a Hydro representa. Em nome da empresa me desculpo pessoalmente com as comunidades, as autoridades e a sociedade.”

A Hydro Norte foi multada duas vezes em  R$ 20 milhões cada, a primeira por “atividades potencialmente contaminantes sem licença ambiental válida”, e a segunda, por “operar uma tubulação de drenagem também sem licença”.

O Histórico da Hydro Norte na Amazônia

Nas últimas semanas de junho de 2017 o país nórdico ganhou manchetes no Brasil. O motivo foi a Amazônia. Poucos dias antes de Temer desembarcar em Oslo, o ministro do Clima e Meio Ambiente Vidar Helgesen, enviou carta ao governo brasileiro mostrando preocupação com regras mais frouxas para o Licenciamento Ambiental e a redução de Unidades de Conservação no bioma amazônico.

Março de 2018: Ibama multa refinaria Hydro Alunorte em R$ 20 milhões

Como se não bastasse o caso acontecido no ano passado, aqui relatado, a empresa norueguesa parece não se emendar. Semana passada moradores denunciaram mau cheiro e cor diferente da água do rio Murucupi. Um laudo do Instituto Evandro Chagas confirmou a contaminação. Nova vistoria foi feita pelo órgão e pelo Ibama. Ambos confirmaram níveis elevados de alumínio e outros efluentes despejados pela Hydro Alunorte. A primeira reação da empresa foi negar mas, em seguida, admitiu que havia uma tubulação que deságua no rio.

Em 2009 a Hydro Alunorte foi multada em R$ 17 milhões, portanto, é caso recorrente

Em 2009 o Ibama já havia multado a empresa em R$ 17,1milhões por despejo de efluentes no mesmo rio. Como sempre acontece nos casos de multas ambientais, a empresa recorreu e nada foi pago.

Ministério do Meio Ambiente é rigoroso desta vez

Desta vez o Ministro Sarney Filho pediu a interdição da estrutura. O embargo atinge o depósito de rejeitos, e a tubulação de drenagem de efluentes e sua ligação clandestina. Em 28 de fevereiro (2018) a Justiça determinou a suspensão parcial das atividades da mineradora norueguesa acusada de contaminar igarapés e poços artesianos de dezenas de comunidades do entorno.

Baixarias ambientais da Noruega? Sim, elas existem

Nosso eterno complexo de vira-latas faz parecer que só o Brasil tem culpa por danos ambientais. Mas não é bem assim. A Noruega é recorrente em vários casos. Trata-se de um dos únicos três países, Japão e Islândia são os dois outros, que ainda caçam cetáceos. Mas não é só…

Noruega também usa Oceanos como lixões…

Milhares de toneladas de rejeitos de minas são jogados no mar, diariamente, mundo afora. Ainda não existem tecnologias capazes de eliminar cem por cento os rejeitos de minério. Algumas minas, colossais em tamanho, abrem enormes crateras para dela extraírem sua produção. E, em consequência, produzem toneladas de rejeitos tóxicos. Como tratá-los e descartá-los? Muitas  usam o sistema Deep Submarined Tailings Disposal (DSTP), ou ‘sistema de eliminação de rejeitos’. São imensos tubos submarinos, com até 4 pés de diâmetro, que despejam  a lama tóxica direto no mar…

 Imagem: O  Deep Submarined Tailings Disposal. No caso da Noruega, os rejeitos são jogados em fijords.

A Noruega é o país com mais minas a utilizar  este sistema de eliminação de poluentes. Os resíduos são jogados em fijords intocados, enchendo muitos com rejeitos ao longo do tempo. Isso provocou  reação da população que, em conjunto com a ONG Amigos da Terra, iniciou a campanha Save the Fijords.

 Imagem: Noruegueses protestam contra despejo de rejeitos no mar (Foto: EcoWatch).

Noruega, maior doador do Fundo Amazônia

A Noruega é o maior doador ao Fundo Amazônia, criado em 2008, e gerido pelo BNDES com objetivo de  captar recursos que financiem ações para frear o desmatamento. Desde 2009 o fundo captou R$ 2,77 bilhões de três doadores. O principal  é a Noruega, seguido pela  Alemanha e Petrobrás. A Noruega criou o programa Clima e Floresta, baseado em resultados. Se o desmatamento cair, as doações são maiores. Se aumentar,  diminuem.

Nos dois últimos anos aumentou o desmatamento no Brasil

O problema é que nos dois últimos anos aumentou o desmatamento. Além disso, o Licenciamento Ambiental está em xeque no Brasil. Para finalizar, havia duas medidas provisórias, as MPs 756 e 758 , vetadas por Temer antes do embargo, que reduziam a proteção a áreas protegidas. Foi o suficiente.

Noruega retalia o Brasil por desmatamento

Antes do encontro, a Noruega mandou carta ao ministro Sarney Filho questionando o aumento nas taxas. Nas reuniões de cúpula mais uma vez o Brasil foi pressionado. Resultado: corte de R$ 196 milhões para o Fundo Amazônia.

 Imagem: Noruega retalia o Brasil mas também maltrata Amazônia. Temer levou puxão de orelhas dos noruegueses.

Noruega é a maior acionista de mineradora que polui Amazônia

A notícia chegou a estas plagas em 28 de junho por obra da BBC. A Noruega tem 34,3% das ações da mineradora Hydro, “megaprodutora” de alumínio e “alvo de denúncias do Ministério Público Federal (MPF) do Pará e de quase 2 mil processos judiciais por contaminação de rios e comunidades de Barcarena (PA), município localizado em uma das regiões mais poluídas da floresta amazônica”.

 Imagem: Noruega retalia o Brasil mas também maltrata Amazônia. A planta da Hydro em Bacarena, Pará.

Hydro, da Noruega, contamina moradores com chumbo

Segundo a BBC “um em cada cinco moradores da região onde estão as empresas norueguesas está contaminado por chumbo, com uma concentração do elemento químico no corpo sete vezes maior do que a média mundial. O chumbo é um dos metais pesados presentes nos rejeitos da indústria mineral mais nocivo ao meio ambiente e aos seres humanos”.

Imagens: Divulgação

Mais em: Mar Sem Fim

Mais Acessadas

Início